Chat do Blog Sporting 2011/2012 Bem- Vindos

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Biografia de Ricardo "coração de leão"



Ricardo Manuel Andrade Sá Pinto, o “coração de leão”, chega finalmente a treinador do Sporting, depois de uma carreira em que brilhou na principal equipa de futebol, rendendo Domingos Paciência.

Sá Pinto, de 39 anos, até hoje treinador dos juniores do clube de Alvalade, representou o Sporting como jogador em duas fases (1994-1997 e 2000-2006), e foi diretor desportivo dos “leões”. Deixou o cargo e o clube em janeiro de 2010, após uma violenta discussão com o avançado Liedson e depois de criticar o guarda-redes Rui Patrício, depois de uma vitória frente ao Mafra (4-3).

No início da época seguinte tem a sua primeira experiência no “banco” como adjunto de Pedro Caixinha na União de Leiria, cargo que ocupou até final da época, mesmo depois da saída do então treinador principal. A União de Leiria acabou por ficar em 10º lugar no campeonato.

O seu regresso ao Sporting aconteceu pela mão do atual presidente Godinho Lopes para o cargo de treinador dos juniores, mas desde cedo foi apontado como o provável sucessor de Domingos Paciência.

Ricardo Sá Pinto nasceu a 10 de outubro de 1972 no Porto e a sua carreira profissional inicia-se na temporada de 1991/92 no então Sport Comércio e Salgueiros.

Na temporada de 1994/95 representou pela primeira vez o Sporting, garantindo rapidamente a titularidade e criando uma empatia especial com a massa associativa “leonina”, que lhe valeu a alcunha de “Ricardo Coração de Leão”.

Aguerrido, por vezes duro na forma como assumia as disputas pela bola e rápido na forma como gizava alguns dos lances atacantes dos “leões”, conquistou nesta primeira passagem por Alvalade a Taça de Portugal e a Supertaça na temporada de 1994/1995.

Cedo despertou o interesse de clubes europeus e na época de 1997/98 ruma mesmo à Real Sociedad – após a agressão ao selecionador Artur Jorge -, continuando em Espanha até 1999/2000, para regressar ao Sporting pela mão do então presidente Dias da Cunha.

A segunda “aventura” em Alvalade termina na temporada de 2005/2006, com uma expulsão no último jogo, embora tenha arrecadado então o título nacional (2001/2002), duas Supertaças (1999/2000 e 2001/02) e uma Taça de Portugal (2001/2002), seguindo-se uma nova transferência para o estrangeiro para as fileiras do Standard de Liége da Bélgica.

As qualidades exibidas no Sporting justificaram a sua chamada à seleção nacional de futebol e a sua participação no Euro96 e no Euro2000. No total, foi internacional por 45 vezes, marcando nove golos.

Estreou-se nos AA de Portugal a 07 de setembro de 1994 na Irlanda do Norte, em Belfast (qualificação para o Euro96) e, curiosamente, foi então substituído por... Domingos Paciência, aos 80 minutos.

O primeiro golo pelas “quinas” foi marcado o primeiro jogo de Portugal no Euro96, a 09 de junho, batendo então o dinamarquês Peter Schmeichel, jogador que também representou o Sporting.

Foi precisamente no âmbito da seleção nacional que protagonizou uma dos incidentes menos positivos da sua carreira, em abril de 1997. Nas imediações dos balneários do Estádio Nacional, no Jamor, Sá Pinto terá questionado Artur Jorge sobre as razões que teriam levado o selecionador a não o incluir na lista dos convocados para um jogo com a Irlanda do Norte.

O agora treinador do Sporting terá insultado e agredido Artur Jorge e os factos não terão assumido maior gravidade graças à intervenção do adjunto Rui Águas, que também terá tido envolvimento nas agressões.

Foi precisamente este o cenário que levou à sua suspensão, com o Sporting a não ter outra alternativa senão transferi-lo para Espanha.

Curiosamente, a “promoção” a treinador principal é em tudo idêntica à opção que levou Paulo Bento a assumir a equipa do Sporting, depois de ser campeão nacional pelos juniores do clube.

Adaptado de sapo.pt


Aqui ficam também os melhores momentos enquanto jogador do nosso Clube:


Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário